Um bebê com a Peppa e Deus

Estava na missa. E de tão cheia de gente, pouco se via e ouvia as palavras do sacerdote no altar. Era hora da homilia. Ainda tentei prestar atenção. Forcei os ouvidos. Quis me desligar das conversas paralelas. Mas meu olhar não conseguia alcançar o microfone. Muitas pessoas circulavam no corredor. Vi-me então contemplando a cruz enquanto o pensamento fazia um cruzeiro por meus litorais interiores... De repente, meus olhos recaíram sobre a minha mãe e Guilherme,  meu primo de 1 ano, logo três bancos a frente. Ela o segurava com calor e firmeza. Ele segurava uma "Peppa"e um "George" com firmeza. Em seguida ele a fitou com aqueles olhinhos de amor. E por um momento eu imaginei ver cristais brilhando. Ela fez cosquinhas. E ele morreu de rir e depois a abraçou. E assim ficaram por um bom tempo. Um olhar. Uma mordida. Um sorriso. Um afago. A sequência se repetia... Vi Deus. Ele estava bem ali, naquela homilia vívida e pura das crianças. Ali, Ele ensinou o Evangelho. Era Minha mãe e Guilherme, mas era Deus também!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sadomasoquismo e sociedade

Poema de terça-feira

Visita ao jardim de dentro