Pular para o conteúdo principal

Postagens

Destaques

Humana lama

Brumadinho/MG - Imagens G1
Por Nathália Coelho

A lama é verde
e nasce em cédulas.

A lama é tóxica
de cifrões.

A lama se alimenta 
do orgulho
da petulância
da vaidade 
e também da ignorância 
de quem vive em vão
(e em prol)
das tramas tão superficiais da vida.

A lama se acumula no vazio
das mentes ocas
dos corações alheios
dos corpos negligentes
e que - histéricos - gritam e almejam
devorar rios de dinheiro
(e poder.) A lama é silenciosa
embora sabe-se rejeito,
Rejeito! E tudo bem.
Escondo, aterro, faço barreira
em mim mesmo, e tá ok.

Ninguém vê
o que não mostro.

Últimas postagens

A rua da palavra

Da greve.

Crônica

O silêncio do jaleco

Os bastidores das flores e da notícia

Não colecione troféus

Teu corpo, tua alma

Viva

Amor e Conflitos

Poema de terça-feira