Cheiros - Parte 1: café.


Ainda durmo quando as recordações invadem a janela do quarto por meio do cheiro do café fresco. De repente estou encarando o mar, a brisa leve e salpicos de água salgada batendo nas rochas. Meu cabelo sendo balançado por esse vento leve. Ao fundo, um amanhecer em espetáculo se faz e eu me banho em luz e emoção. Caminho ao longo da orla da praia, e nem chegou às 7 horas da manhã. Tudo é vazio na rua. Somente pequenos pássaros, flores de jardim despertam aos poucos com a chegada do sol. Atravesso a rua e entro no saguão do hotel. O tempo muda. Executivos bem vestidos se misturam às moças e rapazes que apresentam um look de praia. Um frenesi nas primeiras horas da manhã. Subo no elevador e encontro meu amigo de viagem. O quarto está gelado do ar condicionado. Olho-me no espelho, troco de roupa, desligo a TV, dobramos as cobertas e saímos para tomar café.  O restaurante é amplo, bonito, cheio de vida. Há uma varanda coberta de flores e a vista é pro mar. O cheiro fresco do líquido preto é sentido do corredor. Fecho os olhos e inspiro em profunda felicidade. A sensação é de preenchimento. Retorno do sonho. Ao abrir os olhos, já estou em minha cama, enrolada em uma mantinha rosa. Presente da vovó. Ouço o barulho na cozinha e me levanto, saudosa pelo pensamento. A cara ainda está amassada, as roupas estão tortas no corpo. A visão tenta se acostumar com as lentes dos óculos e os cabelos permanecem espantados. Ainda assim vou até a cozinha e abraço a minha mãe pelas costas. Saber que ela está em casa é como sentir o que o cenário da praia traz para a nossa alma: pura paz vinda de Deus.  Ela me dá um sorriso e me oferece uma xícara de café. Ah! O café que me fez viajar antes de acordar de fato. A mesa está posta e tem suco, pão de forma, queijo, presunto, patê de atum caseiro, biscoitos de água e sal e uma cesta de frutas. Antes de sentar, vou ao banheiro, em seguida arrumo a cama e volto para me alimentar. Minha mãe permanece sentada à mesa; o rosto expressa devaneios. Tomo o café em silêncio, meditando sobre o ar de bondade que denota o ambiente.
       
(...) continua.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sadomasoquismo e sociedade

Poema de terça-feira

Visita ao jardim de dentro