Chegada



Te sinto chegar,
como uma mulher que vai ser mãe
sem descobrir ainda a gravidez.
Te sinto próximo!
Como uma semente que dá fruto
após vento e chuva ajudarem o processo natural...
Te sinto batendo aqui.
Querendo encontrar lugar
dentro de mim;
Te sinto querendo que eu lhe habite também...
Te sinto no caminho.
Próximo de falar o 'oi' tímido,
sorrir de bobagens e
terminar em abraço e beijos longos.
Te sinto sentindo esse pulsar descompassado,
acelerando só de imaginar o encontro,
esse momento simples e arrebatedor,
que vai mudar nossas vidas para sempre.
Te sinto. 
E sentir já é o começo do fim da solidão.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sadomasoquismo e sociedade

Poema de terça-feira

Visita ao jardim de dentro