Re-habito

Resultado de imagem para transformação
Imagem: amenteemaravilhosa.com.br


Atravessam portas de mim
os ventos da mudança.
Batem as janelas
Desarrumam gavetas
Voam papéis
Desnudam 
Velhos há-bi-tos.
Já não habito
Como antes.
Já não sei,
Não reconheço (me)
Mas cresço.
Era semente
Agora floresço
E re-habito
Nos terrenos novos de mim.

(Nathália Coelho)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sadomasoquismo e sociedade

Poema de terça-feira