Poema de terça-feira



A imagem pode conter: planta, flor, árvore, atividades ao ar livre e natureza
Jardins da UnB

Só por hoje, não vou me maltratar.
Vou descansar os olhos nos ipês.
Floridos, coloridos, vivos
Não cobrarei,
nem me punirei pelas atividades atrasadas.
Vou acreditar que cada uma delas tem um tempo
e o tempo não cabe em meu entendimento.
E o que cabe?
Continuarei como formiguinha.
Outra parte como cigarra.
trabalhando, mas cantando.
Na ambiguidade, sou.
Só por hoje, não vou brigar com sentimentos
Vou jogá-los ao vento
E ver transformar em pétalas
gotas, plumas, orvalho
Deixo hoje a vida passar por mim
e se instalar nos detalhes
leve e profunda
consciente da humanidade
minha, sua. De todos.
Tal qual deve ser.
Não vou fardar as costas
nem costurar problemas nos músculos
Não vou martelar a cabeça
nem apunhalar os joelhos
vou tomar a água
da sede que pedir o coração
Só por hoje, não vou me maltratar.
Deixo hoje a vida passar por mim
e me levar - amena - com ela!

(Nathália Coelho)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sadomasoquismo e sociedade

Re-habito