Celebre o Natal!

Imagem: Gospel Downloads

Eu vi uma selfie acontecer na Loja de Conveniência enquanto abastecia o meu carro. Três rapazes compunham a foto. Estavam bem vestidos, bonitos até, de óculos escuros, alguns de barba. Cada um segurava uma garrafa de vodca, cervejas e uma sacola com carne crua. Provavelmente fariam um churrasco. Em seguida o que estava com o celular na mão já começou a mexer no aparelho. Reconheci logo o movimento. De certo estava enviando a imagem pros colegas, compartilhando nas redes sociais. Eram alegres e pareciam estar "curtindo" o pré-feriado de Natal. 

Eu, de dentro do carro, os observava. Não estava com meus amigos. Ia buscar a minha vó, um forno para ajudar a assar as coisas e sobremesas que já estavam prontas. Aqui em casa não seria um churrasco. Era uma ceia em família. Tudo é questão de escolha... Fiquei pensando sobre todas essas coisas e me recordei dos tempos de colégio. Eu tinha amigos que não eram católicos e no fim do ano eles sempre me questionavam a validade de celebrar o Natal, já que havia "comprovações científicas" de que "Jesus não havia nascido em dezembro, tampouco no dia 25, e que essa data era criada pela Igreja, como tantos outros feriados religiosos." Para eles, não havia validade. 

Ir ao templo só no Ano Novo, quando viravam o ano em oração. Embora não dessem importância ao Natal, era bela e admirável a atitude do Réveillon. Hoje em dia ninguém faz isso. Geralmente eu me calava para esses questionamentos. Preferia não discutir. Dava mais importância à amizade. Contudo, hoje em dia faria diferente. Eu não apontaria o dedo e diria o que é certo ou errado até porque esses valores são nulos e relativos. Mas gastaria um pouco do tempo para tentar explicar porque a data, para mim, embora um período de convivência com difíceis lembranças familiares, é tão importante e bonito. 

Você não precisa ser cristão para conhecer a história de Jesus. Apenas goste de Literatura. Aprecie narrativas. O nascimento de Cristo ensina sem que necessite estar intrinsecamente e intimamente ligado à Ele. É a humildade do casal pobre, José e Maria. As dores do parto de uma adolescente longe de casa. O drama de não conseguir abrigo. A viagem cansativa nas costas de um burrinho. O nascimento em um estábulo, em meio aos animais. Um rei nascendo do nada, contrariando os planos humanos, quebrando paradigmas  conceitos da época. É a esperança onde não há mais esperança. É ainda que, com tantas dificuldades, um casal que se ama conseguir superar as dificuldades e se mostrar forte em meio ao caos.

Sabe, Histórias de amor confortam o coração. Histórias de amor fazem emergir de dentro da gente sentimentos bons. Coragem de viver. E o Natal - tirando todo o supérfluo comercial e capitalista - nada mais é do que a celebração universal de uma história de amor. Para os cristãos, de amor à humanidade. Como não dar importância à data? Nós celebramos tantos aniversários, reencontros, festas, confraternizações, vitórias no trabalho, nos estudos, e sempre fazemos alusão à todas as coisas que, de certa maneira, nos confortam e nos tornam pessoas melhores. Por que não o Natal também!? Sim! 

Por isso, ainda que não seja nada, decida por um churrasco, ou por qualquer coisa, lembre que hoje estamos revivendo uma história de amor. Aproveite para (re)aquecer seu coração. (Re)acenda a sua chama de energia vital. (Re)veja tudo que quer deixar morrer em ti e celebre o nascimento do novo eu. Eu vou, além de tudo isso, amar Jesus mais ainda. E dar parabéns, e agradecer um milhão de vezes por ter vindo ao mundo e continuar a me ensinar como ser uma pessoa melhor. 

Aos meus amigos, familiares, colegas, não amigos, a todos: um feliz e grande Natal!!!

Nathália Coelho

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sadomasoquismo e sociedade

Poema de terça-feira

Visita ao jardim de dentro