Desejos imperativos

Panorâmica da Praia de João Fernandes / Buzios - RJ / Foto: Nathália Coelho

Não segregue, agregue! 
Ao invés de gritos, cochichos! 
Mais ouvido, menos umbigo! 
Desacelere, espere! 
Não brigue; inspire, respire! 
Não ao semblante fechado, sim sorriso escancarado! 
Menos isolamento, mais convivência. 
Abra o coração para experiências! 
Sem estupidez, seja cortês! 
Espalhe amor, acabe com o horror, por favor! 
Pratique o bem sem olhar a quem! 
Não inveje, valorize-se. 
Desarma, acalma! 
Nas horas de incêndio, silêncio. 
Sem preguiça; trabalhe, solidariedade espalhe! 
Tristeza? Ajoelha! 
Queira a vida para que a vida te queira!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sadomasoquismo e sociedade

Poema de terça-feira

Re-habito