Versos ao Bruno

A amizade floresceu de uma maçã.
não fez um galo na cabeça,
(como em Isaac Newton)
Foi dada de bom grado,
sem veneno!
(ao contrário da Branca de Neve)
nem tinha a intenção de enfeitiçar
afinal, quem deu não era bruxa,
mas usava um tênis rosa [horripilante]
já quem recebeu, não era príncipe.
Era menino, de verdade.
e ele comeu a maçã
depois de brigar com a amiga.
Teve vergonha daquilo.
(será que era porque ela era gordinha e ele um palito?)
r-i-s-o-s!
mas nesse mesmo dia,
ainda se estranhando
os dois foram embora juntos pra casa.
DOZE anos se passaram
e a maçã sem feitiço, sem ideias geniais
plantou uma semente no coração de ambos
e fincou raízes profundas.
Viraram irmãos.
para todo o sempre.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sadomasoquismo e sociedade

Poema de terça-feira

A paixão de Jesus nos dias de hoje