Sobre a vida.



Um emaranhado de complexidades, de experiências, de convivência, de tentativas. Um palco de erros e acertos, de auroras e escuridões, por dentro e por fora... Uma caminhada que não cessa, mesmo que os pés careçam de descanso. Um eterno jogo de compreensões, nossas e dos outros. Uma sopro de alteridade e despreendimento de si mesmo. A eterna busca do equílibrio entre a individualidade e o grupo. E de que grupo estamos falando... (vale ressaltar!). A linha tênue em que o ser humano atravessa com cautela ou com voracidade. A descoberta do amor. E de como compreender seu cultivo, em todos os âmbitos, em liberdade, desamarrando-se de prisões...
 Tudo. Nada. Vida. Em horizonte.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sadomasoquismo e sociedade

Poema de terça-feira

A paixão de Jesus nos dias de hoje