Jesus e eu.


Geralmente eu penso no Senhor dessa maneira, como da imagem. 
E quando vou dormir, mentalizo esse lugar, 
essa vista que vês, 
e também uma pedra ao lado onde eu possa me sentar. 
Nunca preciso dizer nada, pois o Senhor entendes-me só pelo meu olhar, 
e pelo teus olhos me tranquilizo.
 É sereno e calmo estar ao teu lado. 
É tanto amor a preencher a cena que me revitalizo e adormeço com a lembrança do encontro. 
A vontade era que essa paz se emanasse pelo mundo 
de forma a criar uma atmosfera de bondade, vinda do Senhor, Jesus.
 É uma sensação de plenitude, cheia de Ti, nada de mim. 
Nada de fora. Nada a perturbar. Nada. 
Somente eu e o Senhor. 
Em seguida, recebo um abraço. 
Daqueles que faz carinho no coração. 
Apertado, revigorante, acolhedor. 
E num piscar de olhos a vida é tão fácil...
(...)

Mestre, toda vez que estiver sofrendo por algo, lembrarei-me de teu calvário, da púrpura dor a flagelar teu corpo, dos olhos carregados de lágrimas de tua Mãe aos pés da cruz. Então criarei coragem em prosseguir. Porque nada é maior do que a dor de tua crucificação. Perdoe-me a humanidade. Amar-te-ei enquanto houver vida em mim.
Amar-te-ei eternamente!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sadomasoquismo e sociedade

Poema de terça-feira

A paixão de Jesus nos dias de hoje