Por ora.

Tudo é por ora
Nada é para sempre.
Prefira o "por enquanto"
Siga em frente.
A minha incompletude
não me equaciona
em fórmulas prontas.
Posso até me resolver no momento.
Mas depois me esqueço
e me perco:
da equação,
da fórmula,
do resultado.
Que jurava já saber!
Vê.
Tudo é por ora
Nada é para sempre.
Prefira o "por enquanto"
Siga em frente...
(Nathália Coelho)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sadomasoquismo e sociedade

Poema de terça-feira

Re-habito